Consultório Quiroprático

Dr. Joaquim Valdivia Tor
Especialista em Coluna Cervical - Atlas Orthogonal

Girona

“Casos perdidos” (embora recuperados com o tratamento deste centro)

A uma alta percentagem de pacientes que recebemos no nosso centro chamamos-lhes "casos perdidos".

Normalmente, é considerado um "caso perdido" se sofrer de “problemas da coluna vertebral” que prejudicam a sua saúde e possivelmente a sua vida pessoal, familiar e profissional. Às vezes, tem até de deixar o seu posto de trabalho e sente-se envergonhado quando fala sobre o seu problema com amigos, familiares ou até com o seu cônjuge porque não o levam a sério. Não conseguem imaginar aquilo pelo que você está a passar porque por fora não parece doente e eles nunca sentiram aquilo que você sente.

Se foi classificado como um "caso perdido", o seu problema de saúde originado nas costas pode ter aparecido por vários motivos e possivelmente sem que se tenha apercebido do momento em que apareceu. Por exemplo: 

* Um problema de costas (tipo escoliose, hérnia de disco) que começou sendo leve mas que, ao longo do tempo, se viu agravado (se os problemas não forem tratados corretamente, vai arrastá-los para o resto da vida e terminam por piorar). Por exemplo, problemas devidos a uma queda, um acidente de trânsito, um movimento corporal rápido e brusco, uma sobrecarga pesada (levantar móveis) ou a degeneração dos ossos e do tecido (artrose), etc.

* Um excesso de diferentes tratamentos médicos aplicados no corpo. Normalmente, pode cometer o erro de inicialmente não dar maior importância ao seu problema porque pensa que “qualquer tratamento" vai funcionar. Talvez tenha ido a um "especialista" recomendado pelo seu vizinho a quem lhe correu bem, mas você não melhorou. Talvez depois tenha tentado outro tratamento, e depois outro. Ao não ver resultados, segue pelo mesmo caminho até passar pelas mãos de muitas pessoas que lhe aplicaram numerosos tratamentos. É então quando se apercebe de que está pior do que no início. Consideramos que a combinação de vários tratamentos não é vantajosa, antes pelo contrário. Quanto menos tratamentos forem aplicados e corretamente, melhor. Quanto maior for o número de tratamentos aplicados sem resultados, pior pode acabar.

* A aplicação de um ou vários "tratamentos" incorretos no seu corpo. Hoje em dia muitos profissionais e “sistemas corporais” garantem conseguir a cura definitiva. No entanto, colocar-se nas mãos de alguém que não possui conhecimentos adequados pode-lhe provocar um grave e sério problema de saúde para toda a vida porque o "especialista" ou “sistema” em causa pode-lhe provocar danos na coluna devido à aplicação de um tratamento incorreto no corpo. Desde massagens em cabeleireiras, uma manipulação incorreta da coluna vertebral (colocação da coluna), os chamados "especialistas em atlas" que tiram um curso de fim de semana para depois brincar com a saúde dos pacientes, até tratamentos mais invasivos como intervenções médicas desnecessárias (algumas cirurgias e outras intervenções) podem-lhe provocar problemas de saúde muito importantes, quer a curto quer a longo prazo.

Como "caso perdido", talvez também tenha visitado os "maiores especialistas", os de "grande prestígio" e "muito afamados", aqueles que possuem uma grande quantidade de diplomas pendurados nas paredes dos seus caros gabinetes de clínicas famosas. No entanto, face aos seus problemas, estes especialistas somente lhe ofereceram teorias inúteis e não resultados. Talvez não fossem assim tão "bons" se não lhe puderam ajudar. Até lhe podem ter dito que o seu problema é "psicológico" e não "físico" para se verem livres de si.

É então quando talvez se sinta "desgraçado", "enganado" e incompreendido sem esperança alguma.

Então... Qual o seu problema?

A origem dos seus problemas de saúde é mecânica, estrutural. A sua coluna não está corretamente alinhada, o que afeta negativamente a sua saúde, e não melhorará até recuperar o alinhamento normal, faça o que fizer, vá onde for, e tome o que tomar.

A única forma de ser tratado é através de um estudo personalizado para conhecer detalhadamente (por meio de radiografias, por exemplo) o alinhamento da zona que dirige a sua coluna: a zona superior, em concreto a zona da primeira vértebra, o atlas.

O alinhamento do atlas é como a direção de qualquer meio de transporte. Se o leme de um barco grande for mal dirigido, o barco não chegará ao porto. Se o atlas não estiver bem alinhado, o resto da coluna também não o estará.

Eis aqui o problema do "caso perdido": o desalinhamento do atlas. Um desalinhamento que a primeira vista pode parecer insignificante. Um problema cuja importância pode ser subestimada pela maioria de “especialistas” e pacientes. Um problema que pode não ser conhecido nem compreendido por muitas pessoas, um problema que talvez nem sequer os "grandes especialistas" conheçam nem as suas consequências. Um problema que somente será compreendido por quem o sofre: você. Infelizmente, talvez somente chegue a esta conclusão após ter visitado muitas clínicas diferentes e especialistas sem nenhum benefício.  

E agora... como pode melhorar?

Não seria considerado um "caso perdido" se inicialmente tivesse começado com o tratamento que oferecemos na nossa clínica. Agora, chegados a este ponto, terá que:

1-Compreender o seu problema e outorgar-lhe a importância que merece.

2-Esquecer todas as teorias apresentadas por médicos que não souberam nem puderam oferecer-lhe soluções.

3-Deixar de ir a outros lugares para receber mais "tratamentos".

4-Confiar no nosso profissionalismo.

5-Ter paciência e ser consciente de que durante o tratamento pode sentir desconforto.

6-Cumprir escrupulosamente o programa de visitas recomendado, quer a curto quer a longo prazo.

7-Seguir as recomendações que lhe serão sugeridas.

Se não tiver paciência e abandonar o tratamento pela metade, não atingirá o seu objetivo e, sinceramente, nesse caso teria sido melhor não o ter começado. Terá sido uma perda de tempo e de dinheiro quer da sua parte quer da nossa.

Este centro é consequente com os "casos perdidos" como o seu. Sabe como tratá-los e está disposto a o fazer, desde que o paciente coopere. Caso contrário, não serão obtidos resultados, e não devido ao nosso tratamento nem porque o paciente não possa melhorar, mas sim pela falta de cooperação do paciente nos 7 pontos acima referidos.

Se for um "caso perdido", sabe do que estamos a falar. Se não o for, talvez não o compreenda mas, se conhecer alguém que esteja nesta situação, pode ajudá-lo, partilhando esta informação com ele.

Alguns "casos perdidos" desistem e decidem não fazer nada para melhorar. A inação vai-lhes custar uma vida de desconforto crónico e analgésicos.